dicas, mamães, maternidade

Pipoca de microondas X Pipoca de milho(na panela)

Oi girls! Eu já havia escutado algum “burburinho” sobre este “versus” aí de cima, mas fiquei encucada estes dias e resolvi ler sobre o assunto até porque muitas vezes mando de lanchinho pipoca para a Helena, mas como aqui em casa não tem “panela especial de pipoca” ela ás vezes queima e não fica tão gostosa quanto a de microondas, e aí que me bateu aquela curiosidade de vez, mandar ou não mandar a de microondas? Faz bem ou faz mal? Porque pipoca em si é nutritivo sim, enfim… vamos ver qual é o mito aí?

Na minha pesquisa caí nesta matéria aqui da Revista Saúde, da editora Abril, que transcrevo aqui para vocês:

Pipoca e suas qualidades nutricionais

Ela é um estouro
A pipoca arrebenta em matéria de fibras e não deixa o açúcar saltar para dentro do seu corpo. Por Regina Célia Pereira

Pi-po-ca. As sílabas dessa palavra tupi parecem estalar na boca soando exatamente como seu significado: milho que faz barulho. Faz barulho na panela, no microondas, entre os dedos que o catam afoitos e entre os dentes. Provocam zunzunzum também para não dizer poc, poc, poc nas conversas sobre nutrição. É que sempre pipocam histórias que condenam esse alimento. Ora porque é calórico, ora porque é engordurado, ora porque aceita uma verdadeira chuva de sal.

Mas justiça seja feita: aquela porção do cineminha tem cinco vezes mais fibras do que se você comesse a mesma quantidade, em gramas, de alface! A notícia, por si só, já é saborosa para quem precisa botar o intestino nos eixos. Mas o efeito digestivo só acontece se você beber alguma coisa junto. E, por favor, evite o refrigerante. Água ou suco são as melhores pedidas.

A parte mais fibrosa do milho ou pericarpo, no jargão dos especialistas também tem papel importante na explosão dos grãos. Trata-se de uma película grossa que retém o amido, diz o engenheiro agrônomo Eduardo Sawasaki, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), no interior de São Paulo. A questão é que esse amido incha-se em altas temperaturas. A capa de fibras não. Ou seja, a pressão no interior do grão se torna insuportável. Resultado: poc!

Como num passe de mágica, o grão duríssimo se transforma em um floco branco e macio. Nesse novo e irresistível formato, uma substância chama a atenção dos experts em saúde: o amido resistente. Preste atenção porque a notícia, aqui, é mais quente do que pipoca recém-saída da panela: esse carboidrato duro na queda passa intacto (ou quase) pelo aparelho digestivo e assim não provoca altas repentinas nos níveis de glicose. Quem ganha com isso? Quem está no grupo de risco do diabete tipo 2, responde a nutricionista Maria Cristina Dias Paes.

Assim concluímos que pipoca faz bem sim! Mas e aí qual a diferença entre a pipoca normal e a de microondas?

Aqui outra matéria:

Não exagere na pipoca de microondas  Por Regina Célia Pereira

Basta botar a embalagem no forno e esperar cerca de três minutos. Quem não quer praticidade numa tarde preguiçosa? O problema é que essa rapidez toda traz doses de gordura. A pior gordura é a trans, acusada de levar ao entupimento de artérias, que as indústrias tentam substituir por tipos mais saudáveis. Desculpe a insistência, mas fique atenta no rótulo. (!!!!)

Já a notícia ruim é que agora há um composto denegrindo a imagem da pipoca de micro. Trata-se do diacetil, um flavorizante que confere sabor e aroma de manteiga ao produto. Segundo estudiosos dos Estados Unidos, sua inalação contínua é capaz de causar danos aos pulmões. Tudo bem, haja pipoca até que isso aconteça. Mas, exagerados ou não, os americanos exigem a retirada do ingrediente. Por aqui só nos resta ter cautela e evitar ficar na cozinha enquanto estiver aquele perfume de falsa manteiga no ar.

Então mamães, já sabem né? Atenção ao rótulo e nada de pipocas de manteiga (pelo amor!!!).

E quer saber, vou mesmo é investir em uma panela de pipoca e achei este milho especial aqui para a pacotinha! Vou testar aí conto para vocês depois se deu certo! foto (10)

Quer ler mais sobre o assunto? Tem outro link que achei bacana: http://saude.hsw.uol.com.br/pipoca-toxica.htm

beijos!

Ana

Comente!