Ana Flavia Carramaschi

Os 4 compromissos da gente, com a vida

 

A vida é uma eterna surpresa. E cabe a cada um de nós enxergá-la a sua maneira. Podemos ter uma vida cheia de positividade e esperanças, emandando energias e otimismo, ou ficar na bad reclamando.

Fiz um post no insta, mas achei que valia adicionar todos os pontos aqui em um post completo. De algo que aprendi a pouco tempo mas que vale muito. Segredos são para serem divididos: afinal, de que adianta ter segredos e não ter gente a sua volta evoluindo contigo?!

Ainda acho que poucos entendem o porquê eu gosto tanto de “conpartilhar”, mas não sei se é só isso, eu acho que gosto mesmo é de imaginar um  mundo melhor. Pra todos. E pra isso, não posso guardar as descobertas só pra mim. Nem que seja uma loja de roupas incríveis, um perfume novo ( sempre tenho amigas que já compraram os mesmos perfumes que eu , pq eu sou curiosa, fuçona, me arrisco, me jogo….) Mas também sou sonhadora, apaixonada, ciumenta… ah enfim me perdi aqui!

Voltemos então aos 4 compromissos, os quatro compromissos que devemos ter com a gente mesma para uma vida mais feliz!!!

( quer uma dica boa?! cola eles em posts its em seu espelho do banheiro, na geladeira, em algum lugar que te faça sempre, sempre relembrá-los!)

Vamos lá!

O primeiro compromisso: Seja impecável com sua palavra
É o compromisso mais importante. É através da palavra que expressamos nosso poder criativo, quer seja através da fala ou do pensamento. É o mais poderoso instrumento que possuímos, e tanto pode ser usado para nos libertar como para nos escravizar. O primeiro passo é ter consciência do poder da palavra.

E aí então, torná-la impecável. Impecável significa “sem pecado”. Bom, mas o que é pecado? Pecado é quando vamos contra a nossa natureza mais íntima, a nossa essência. Ou seja, sempre que nos julgamos, estamos pecando. Sempre que nos julgamos, nos criticamos, nos culpamos, nos condenamos, estamos pecando.

E isso cria uma série de conflitos em nossa vida. E assim, sem percebermos, vamos nos escravizando a esses conflitos. Se passarmos a sermos impecáveis com nossa palavra iremos, pouco a pouco, recriar nossa vida na direção do bem, do amor, da harmonia. E nos libertar do conflito.

O segundo compromisso: Não leve nada para o lado pessoal
O que quer que aconteça com você, não tome como pessoal. Se o vejo na rua e digo: “Você é um estúpido”, sem conhecê-lo, não estou falando de você, estou falando de mim. Se você levar para o lado pessoal, talvez acredite que é estúpido.

Você leva tudo para o lado pessoal porque concorda com o que está sendo dito. Assim que concorda, o veneno passa através de você e o prende no sonho do inferno. O que causa a sua própria captura é o que chamamos de importância pessoal. Importância pessoal, ou levar as coisas para o lado pessoal, é a expressão máxima do egoísmo porque cometemos a presunção de achar que tudo é sobre ‘nós’.

Eu levo tudo pro lado pessoal e os outros também. Eu defendo meus pontos de vista e os outros defendem os pontos de vista deles. Não deveríamos levar nada para o lado pessoal, nem as críticas e nem os elogios. Se vejo tudo com olhos amorosos, me liberto das críticas e até dos elogios. Não faça do lixo alheio o seu próprio lixo.

O terceiro compromisso: Não tire conclusões
Temos a tendência para tirar conclusões sobre tudo. Presumir. O problema com as conclusões é que acreditamos que elas são verdadeiras. Poderíamos jurar que são reais. Tiramos conclusões sobre o que os outros estão fazendo e pensando – levamos para o lado pessoal –, então os culpamos e reagimos enviando veneno emocional com nossa palavra.

Por isso, sempre que fazemos presunções estamos pedindo problemas. Tiramos uma conclusão entendemos errado, levamos isso para o lado pessoal e acabamos criando um grande drama do nada. Toda tristeza e drama que você passou em sua vida foram causados por tirar conclusões e levar as coisas para o lado pessoal. Pare um instante para examinar essa afirmativa.

O quarto compromisso: Sempre dê o melhor de si
Existe apenas mais um compromisso, mas é o que permite que os outros três se tomem hábitos profundamente enraizados. O quarto compromisso se refere à ação dos outros três: sempre dê o melhor de si. Sob qualquer circunstância, sempre faça o melhor possível, nem mais nem menos.

Porém, tenha em mente que o seu “melhor” nunca será o mesmo de um instante para outro. Tudo está vivo e mudando o tempo todo. Portanto, fazer o melhor algumas vezes pode produzir alta qualidade e outras vezes não vai ser tão bom. Seu “melhor” vai depender de você estar se sentindo maravilhosamente feliz ou aborrecido, zangado ou ciumento.

Nos diferentes estados de espírito do dia, seu humor pode mudar de um instante para outro, de uma hora para outra ou de um dia para outro. Seu “melhor” também irá se alterar ao longo do tempo. À medida que você se habitua aos quatro compromissos, seu “melhor” irá se tornar mais e mais eficiente. Independente da qualidade, continue dando o “melhor” de si, nem mais nem menos.

Ao Assumirmos estas quatro atitudes elas se tornam a base para vivermos uma vida mais harmoniosa e feliz.

Quem afirma isso é o mestre da tradição tolteca Don Miguel Ruiz no livro “Os quatro compromissos – O livro da Filosofia Tolteca”, publicado em 1997 e traduzido para mais de 35 idiomas.

Acho que a semana começa com uma deliciosa energia para mudarmos o futuro!

Um beijo

Ana

fonte: Nossa Causa

Comente!