papo de mãe

Em inglês ou português?

Asian Little Boy

Hoje voltou na minha cabeça um assunto que eu já tinha pensado há um tempãaaao atrás…. e aliás ainda tenho dúvidas sobre este assunto, mas vou tentar dividir aqui com vocês meus pensamentos.

Estava aqui em casa com uma amiga e seu pequeno e com Helena quando coloquei o filme da Ariel para eles verem (é o eleito da vez aqui em casa rs).

Foi quando minha amiga comentou: nossa nunca vi este filme em português!

(é realmente frustante em português a maioria dos filmes da Disney hahaha, as músicas em inglês soam miiil vezes melhor, mas enfim este não é o ponto!!!)

Mas foi aí que me veio de novo a dúvida: em qual língua colocar o filme para a Helena? Será que faria diferença para ela? Esta minha amiga coloca sempre os filmes em inglês para o pequeno dela!

Eu sempre pensei que quando tivesse filho iria colocar os filmes em inglês, mas desde que Helena nasceu eu nunca consegui ! Me achava meio bruxa, já que até EU não entendo direito, como colocar para ela assistir em outra língua? Ainda mais que o português ainda também está/estava em fase de aprendizagem para ela… ela só tem 2 anos!!! ( cara de mãe confusa ; s)

É sempre assim, a gente acha que vai ser uma mãe assim/assada e ploft…é bem diferente rs

Neste primeiro momento, optei por Helena estudar em uma escola aqui da região com um método que eu amo (construtivista) e que tem uma área bem legal para ela brincar… sou apaixonada por sua escola. Enfim, eu não consegui conciliar em uma única escola estes 2 pontos: método e 2a língua.

Assim sendo ela não estuda em escola bilíngue, nem americana…ainda não “apresentei” o inglês para ela.

Juntando estes meus pensamentos de mãe, aos meus estudos de psicologia deste semestre o que eu vi: paralelo á aprendizagem dos pequenos (através do meio externo) há também seu desenvolvimento biológico- do organismo (interno), e ambos ocorrem de forma integrada. A “aprendizagem e desenvolvimento são processos interdependentes que se pressupõem mutuamente.” Então, para haver aprendizagem da Helena (no meu caso rs) é necessário que ela tenha atingido determinado nível de desenvolvimento (idade) e, à medida que ela aprende, vão ocorrendo mudanças progressivas e cumulativas na sua estrutura de pensamento e comportamento que estimulam o seu processo de desenvolvimento”.

Mas o que isso significa? Que a aprendizagem para ocorrer necessita do desenvolvimento do organismo, de 0 a 2 anos a criança ainda não possui a função simbólica. As “estruturas mentais” (cérebro) devem estar aptas para receber a aprendizagem.

Há de se esperar também o tempo para que eles possam conseguir “assimilar” este aprendizado que recebem. E é a partir dos 18/ 24 meses que a linguagem começa a mudar as relações da criança. “Não se pode fazer uma criança aprender o que ela ainda não tem condições de absorver.” E quando as condições são favoráveis, ela tem de se interessar para aprender, e isto acontece porque o conhecimento se dá por descobertas que a própria criança faz. Se ela não se interessa, não assimila, não aprende!

Para mim, no meu caso, cheguei a conclusão que o melhor REALMENTE é uma boa alfabetização na língua materna dela (o português) e uma escola de inglês que eu acredite. Ufa pensei, acho que fiz a escolha certa, me sinto mais tranquila! É muito bombardeio hoje na nossa cabeça né?

Acho que, também, ter uma segunda turma do “inglês” saber estar em um local diferente é bacana para seu desenvolvimento. Uma outra professora além da escola, um novo ambiente. Tenho muuuitas filhas de amigos que não estudam em escolas americanas e falam MUITO, MUITO bem inglês.

Assim, hoje vejo que aprender brincando aos 3 anos uma segunda língua é o que eu quero para a Helena. Já que a Helena fala bastante, bastante mesmoo português acho que ela aprender uma segunda língua neste momento será espetacular. Acho que ela vai curtir bastante!!! Não sei se teria a mesma certeza se ela estivesse em uma escola americana desde o início. Se ela teria tanta desenvoltura ao falar e se expressar em português como têm.

Enfim, uma experiência minha e conclusão pessoais que eu divido aqui.

Estou super animada com 2013 em ver minha pequena estreiando no “english class” e espero dividir muitas coisas bacanas com vocês daqui para frente!

Beijos

mamãe Ana

ps: paralelo a todo este desespero das mães, em querer que nossos filhos saibam tudo, sabemos que existem a “fase crítica” para um aprendizado ( 2 a 6 anos),  e quanto antes melhor sim. Mas sem euforias e deseperos, tenho amigas que iniciaram o inglês aos 10 anos e são super fluentes. Veja o que cabe a você, a seus ideais e concepções. Não existe uma verdade única, principalmente em aprendizado: cada criança é uma !

1 Comentário

  1. Helena vai mudar de escola, e agora? – Alpha Teste

    23/09/2016 at 11:33

    […] Com seu interesse pela segunda língua, me animei a colocá-la em uma aula de inglês, externa. Como já havia comentado no post anterior. […]

Comente!