Dra. Ana Claudia Carramaschi Soares, mamães, saúde bebe, saúde e beleza

Dra. Ana Claudia Carramaschi ajuda! Anemia Ferropriva

Oi girls, tudo bem? Não sei se todas vocês sabem mas minha irmã é pediatra, ela se chama Ana Claudia ( sim somos 3 Ana´s e 3 irmãs – fora as primas kkkk) e como vocês já devem imaginar ela é meu socorro o dia todo! Ô dó viu rs, o que eu ligo para ela não está escrito hahaha!

Pensando nisso, em dúvidas que me batem a toda hora, a convidei para falar aqui no blog semanalmente sobre algum assunto! Nossa Dra. GFA!

Um assunto bastante abordado pelas mamães é comida! A gente “surta” mesmoooo tentando saber o que é bom, o que tem que dar o que não tem, quais as proteínas que cada alimento tem…ai ai ai

946210_532760213432494_85529583_n

Por isso neste primeiro post, falaremos sobre ANEMIA! Mais especificamente anemia ferroptiva (??? interrogações a mil né? hahahha), bom bora lá saber um pouco mais sobre prevenção á nossa saúde e á dos pequenos (e dos filhotes “grandes” também né? Tenho a impressão de quanto maiorzinhos mais difícil de comerem….MEDO rs):

Captura de Tela 2013-05-11 às 19.52.15

Por Dra. Ana Claudia Carramaschi Soares

A anemia ferropriva, ou anemia por deficiência de ferro, isoladamente, é a maior causa de deficiência nutricional no mundo. Ocorre principalmente em crianças menores de 5 anos de idade e em mulheres na idade fértil. Aqui no nosso caso vamos nos deter as crianças.

Causa: para nós produzirmos a hemoglobina, substância que fica dentro das nossas células vermelhas (hemácias), e que é responsável pelo transporte de oxigênio aos tecidos, precisamos do ferro.

Onde conseguimos o ferro? Existem dois tipos de ferro nos alimentos:

– orgânico (ferro heme): presente nas carnes em geral,

– não-orgânico (ferro não-heme): presente nos vegetais, cereais e outros alimentos.

O ferro orgânico é muito mais facilmente absorvido do que o não orgânico, é por isso que na infância devemos sempre oferecer carnes às crianças durante as refeições.

Durante os 6 primeiros meses, a criança em aleitamento materno exclusivo consegue manter seu estoque de ferro, porém mamães, fiquem atentas, assim que a criança começar a comer outros alimentos, precisamos repor o ferro para prevenir que ela desenvolva a anemia por falta de ferro nos dois primeiros anos de vida.

Os bebês que tomam fórmulas lácteas, não precisam, pois as fórmulas costumam ter a quantidade de ferro necessária. A exceção são os prematuros que podemos falar em outro post, pois o armazenamento de ferro intra-útero ocorre principalmente nos últimos meses de gestação e portanto o estoque destes bebês é menor.

Aí pode ficar a dúvida: Como perceber que meu filho (a) pode estar com anemia?

Os principais sinais e sintomas são: cansaço, palidez, dificuldade de concentração, apatia, prejuízo no crescimento, irritabilidade, falta de interesse e dificuldade de aprendizado.

É importante ressaltar que a anemia ferropriva pode causar prejuízo comportamental e déficit cognitivo.

Aqui vai uma tabela para as mamães com os principais alimentos ricos em ferro e o tipo de ferro (heme X não heme):

clip_image002

Beijos,

Ana Claudia

É isso aí meninas! Espero que vocês tenham gostado deste post e semana que vem tem mais!

Xoxo

Ana Flávia

A Dra. Ana Claudia Carramaschi  é formada em Pediatria Geral,  pela Faculdade de Medicina da Universidade São Francisco, Bragança Paulista-SP, pela 35ª turma.

Pós Graduada em Residência Médica em Pediatria pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); Residência Médica em Hematologia e Hemoterapia Pediátrica pelo Centro Infantil Boldrini da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); Médica Trainee em Hematologia e Hemoterapia Pediátrica no Centro Infantil Boldrini da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria

Título de Especialista em Hematologia e Hemoterapia Pediátrica pela Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Sociedade Brasileira de Pediatria

Áreas de Atuação Profissional: Pediatria Geral e Puericultura, Hematologia e Hemoterapia Pediátrica.

Membro do Corpo Clínico do Centro de Hematologia de São Paulo

Membro do Corpo Clínico do Hospital São Luiz

Membro do Corpo Clínico do Hospital Infantil Sabará

Membro do Corpo Clínico do Hospital da Criança / Hospital Nossa Senhora de Lourdes

Membro do Corpo Clínico do HCOR – Hospital do Coração

1 Comentário

  1. Olivian Moioli

    16/05/2013 at 20:32

    Ana, João tem uma falta de ferro genética…precisa tomar ferro desde sempre, mesmo se alimentando super bem. Ele não consegue segurar o ferro. A gente as vezes acha besteira fazer exame e tal, mas é importante! A anemia pode comprometer o desenvolvimento dos pequenos…beijosss

Comente!