De cada 10 clientes que eu recebo no escritório de advocacia de imigração em que trabalho, nos Estados Unidos, 9 são enfáticos ao dizer que estão tentando a imigração pelos filhos. Talvez por isso eu tenha recebido o honroso convite de escrever quinzenalmente para o “Alphamães”.

De fato, eu poderia fazer uma lista com mais de uma centena de ônus em viver fora do seu país. Mas existe um bônus que desempata toda a equação: filhos. Vê-los crescendo cotidianamente num ambiente digno, seguro, equilibrado, pacífico, estável, com valores éticos e com oportunidades é um bônus que – no mais das vezes – desempata o jogo.

Para concretizar essa mudança, todavia, é preciso obter um documento que conceda à família a residência permanente (com todos direitos e deveres de um cidadão americano, salvo votar e ser votado). Esse documento ganhou o apelido de Green Card.

Alem do apelido, ele ganhou também uma injusta fama de “impossível”, graças ao “Dr. Boataria” e ao destaque que a imprensa dá aos casos negados. O país foi construído e alicerçado sobre os pilares da imigração e até hoje tem um sistema bastante generoso de recepção de estrangeiros, quando se leva em conta que é a atual potência econômica e militar do planeta.

Há diversos tipos de Green Card e – para cada pessoa – há uma solução diferente e personalizada. Há Green Cards que decorrem de um investimento no país, outros que decorrem de uma específica nacionalidade e outros que decorrem da boa formação acadêmica e sucesso profissional do candidato no seu país de origem.

Não importa a espécie de Green Card, eles estão disponíveis, são oferecidos todo ano pelo Governo Norte Americano e sim, são possíveis, desde que seu processo de solicitação seja feito de forma artesanal, cuidadosa, zelosa, disciplinada e profissional.

Por questões de didática eu explicarei, nos próximos artigos aqui publicados, os prazos, custos, etapas e documentos necessários para cada um dos Green Cards mais comuns oferecidos pelo Governo dos Estados Unidos.

Posso antecipar, todavia, que esse sonho não é impossível e que a imensa maioria das pessoas se surpreende ao saber que sim, se encaixam no perfil desejado pelo Departamento de Imigração para a concessão do Green Card. Com ele em mãos, o país aguarda a você e seus filhos, de braços abertos.

__________

Gustavo Nicolau

Advogado, Mestre e Doutor pela USP

Mestre pela Universidade de Chicago