A culpa das mães que não trabalham fora

A culpa das mães que não trabalham fora

A culpa das mães que não trabalham fora é um assunto muito presente nas famílias, mas muito pouco discutido pela sociedade e até pelos profissionais.

É fácil se solidarizar com aquela mãe que passa o dia todo no trabalho e que chega em casa com os filhos quase dormindo. Aquela mãe que perde os primeiros passos, que fica sabendo qual foi a primeira palavra que o filho disse por uma mensagem que a babá ou avó enviou contando. Dói perder tudo isso! Dói muito! E como conseqüência dessa distância, vem a famosa culpa!

Mas em um mundo aonde a produtividade é extremamente valorizada, o sucesso profissional significa sucesso pessoal e salários altos dizem mais sobre você do que o seu caráter, como fica a mãe que abdica de tudo isso para cuidar dos filhos?

Quem é mãe sabe que não é uma questão de desafios e nem de quantidade de trabalho, já que ser mãe é, sem dúvidas, uma das atividades mais exaustivas e desafiantes do mundo. A questão está em a sociedade e, até essas próprias mães, reconhecem a sua importância.

O que eu vejo, nos meus quase 16 anos de experiência atendendo mães, é que há uma imensa culpa nas mães que não trabalham fora. Elas se sentem cobradas pela sociedade, se sentem pouco úteis, se cobram por render mais, ficam aflitas quando se sentem pouco produtivas e levam o lema de que criar os filhos é o seu trabalho.

Qual é o problema disso tudo? É que toda culpa acaba numa compensação. Nesse caso da culpa das mães que não trabalham fora, a compensação é serem mães demais. Sim, isso mesmo, mães demais. A chance de uma mãe com essa culpa superproteger o filho é enorme. A autonomia, que é um dos pontos mais importantes a serem desenvolvidos nos filhos, também sofre muito. Como essa mãe vai se sentir útil se o filho “não precisa” mais dela? A compensação acaba trazendo danos à educação das crianças.

Nem sempre toda mãe que não trabalha fora tem clara essa culpa. A maioria das mães que eu trabalhei com esse perfil não tinha. Então, se você é uma mãe que não trabalha fora, se atente aos seguintes pontos:

-Veja se você se sente incomodada em descansar um pouco quando sobra um tempo livre.

-Note se você está ajudando as crianças o tempo todo, mesmo quando elas já têm capacidade de fazer sozinhas.

-O quão incomodada você fica quando te perguntam no que você trabalha?

-Perceba se seus filhos são inseguros ou dependem muito de você.

Esses são apenas alguns pontos presentes quando as mães se sentem culpadas por não trabalharem fora. Se você se sente assim, converse com outras mães ou procure ajuda profissional. Não há tarefa mais difícil e importante no mundo do que trabalhar na construção de um ser humano.

_________________________________

Carolina Kherlakian

[fusion_social_links icons_boxed=”” icons_boxed_radius=”” color_type=”” icon_colors=”” box_colors=”” tooltip_placement=”” blogger=”” deviantart=”” digg=”” dribbble=”” dropbox=”” facebook=”https://www.facebook.com/mariacarolina.kherlakian.1″ flickr=”” forrst=”” googleplus=”” instagram=”https://www.instagram.com/carol.kherlakian/” linkedin=”” myspace=”” paypal=”” pinterest=”” reddit=”” rss=”” skype=”” soundcloud=”” spotify=”” tumblr=”” twitter=”” vimeo=”” vk=”” whatsapp=”https://api.whatsapp.com/send?phone=5511984470111″ xing=”” yahoo=”” yelp=”” youtube=”” email=”carol@carolkherlakian.com.br” show_custom=”no” alignment=”” hide_on_mobile=”small-visibility,medium-visibility,large-visibility” class=”” id=””][/fusion_social_links]

Quem somos

O Alphamães traz a proposta de reescrever o paradigma da “mãe perfeita”.

Com honestidade e humor, Ana e Helen comentam os retratos irrealistas da maternidade que são frequentemente apresentados em todas as mídias sociais e tradicionais.

Artigos Recentes

Instagram

Rolar para cima