Baby, bebês, desenvolvimento infantil, filhos, saúde

Plagiocefalia Posicional e o uso do capacete.

Matteo nasceu com torcicolo congênito, (uma retração no músculo do pescoço, sem dor). Com isso, ficava com a cabecinha sempre do mesmo lado, eu arrumava a cabeça mas ele sempre voltava, conversei com o pediatra que indicou fisioterapia e em 3 meses ele ja mexia a cabeça para os lados normalmente, mas neste tempo, a cabecinha dele ficou com um lado “amassadinho”. Chamada Plagiocefalia Posicional, nome dado à deformidade causada pelo apoio excessivo de uma região da cabeça durante a fase de crescimento rápido. Quer seja ainda no útero da mãe, seja nos primeiros meses de vida. Logo depois da fisioterapia, o pediatra dele pediu que procurasse um especialista em plagiocefalia para possivelmente colocar o capacete.

Morri de dó e não queria que ele usasse o capacete, procurei outros tratamentos alternativos, durante 4 meses, ele fez fisioterapia crânio sacral, um método mais leve para corrigir a cabeça, vi muitos casos em que a cabecinha fica perfeita, mas no caso dele não resolveu e agora com 10 meses resolvi pelo tratamento com o capacete. Procurei a Clinica Heads, que é a única no Brasil que faz tratamento com capacete. Na primeira avaliação já foi feito um escaneamento para medir a cabeça e ver o grau da assimetria. No mesmo dia encomendamos o capacete, e esta semana e começamos a adaptação. Ele está indo melhor que eu imaginei, cada dia que passa o tempo com o capacete aumenta e em 1 semana ele já estará usando 23h por dia, só tira durante 1 hora para o banho e um pequeno descanso e a cada 15 dias retorna a clínica para ajustes relativos ao crescimento da cabecinha.

Matteo vai usar o capacete por 4 meses, quanto mais cedo o bebê for diagnosticado e dependendo do grau da plagiocefalia, o tempo de uso também diminui. Há relatos de bebês que usaram por pouco mais de 1 mês apenas.

Acredito que nada na nossa rotina vá mudar, pois as recomendações são vida normal. No instagram @mommymodeon vou dividir um pouco o dia a dia do Matteo nesta fase de tratamento.

 

Vou colocar aqui, algumas Informações que peguei com a Clinica Heads sobre a Plagiocefalia e o capacete.

COMO POSSO EVITAR QUE ISSO ACONTEÇA?

Verifique se seu bebê dorme sempre com a cabeça na mesma posição. Se necessário, vire-o no berço (com os pés onde estava a cabeça e vice-versa). Se for mais fácil vire o próprio berço, coloque todos os estímulos sonoros e visuais para o lado que ele não gosta muito de olhar. Dessa forma, vai estimulá-lo a apoiar a cabeça do lado em que é preciso conter o crescimento. Há alguns dispositivos posicionadores que podem ajudar um pouco nesse esforço, mas é preciso checar com seu pediatra se são seguros para ficar dentro do berço.

É importante observar se seu bebê apresenta exagerada preferência para virar só para um lado, com limitação para virar a cabeça para o lado oposto, pois pode ser sinal de torcicolo congênito, condição em que a musculatura do pescoço está mais tensa de um lado, girando o queixo para o lado oposto e levando o bebê a apoiar a cabeça sempre no mesmo lugar. Isso geralmente é resolvido com fisioterapia, mas precisa ser identificado e tratado a tempo de evitar o aparecimento de outras complicações.

Colocar o bebê de bruços (o chamado “Tummy Time”) também é importante, pois tira o apoio da região de trás da cabeça e estimula o uso da musculatura da nuca, preparando o bebê para as próximas etapas do desenvolvimento. Mas lembre-se: o Tummy Time só deve ser feito com o bebê acordado e sob supervisão de um adulto.

COM QUAL IDADE É POSSÍVEL REALIZAR O TRATAMENTO?

O tratamento geralmente é realizado entre os 3 e 18 meses de vida. Quanto antes se inicia o tratamento, mais rápidos e melhores os resultados alcançados. Isso acontece porque até os 2 anos de idade a cabeça do bebê atinge cerca de 85% do tamanho do crânio adulto. ou seja, quase todo o crescimento efetivo se concentra nesse período, principalmente nos primeiros meses de vida.

Normalmente, até o 7º  mês o crescimento do perímetro cefálico é de cerca de 1 cm por mês e entre 7 e 12 meses cai para 0,5 cm por mês. Por isso o ideal é aproveitarmos essa fase de crescimento rápido para corrigirmos a assimetria craniana.

Conforme seu bebê fica mais velho a densidade, maleabilidade e mobilidade ósseas diminuem e consequentemente o potencial de melhora com o tratamento também diminui. Após 1 ano de idade, ainda há crescimento, porém o mesmo é mais lento, fazendo com que o tratamento seja mais demorado. Mudanças ainda podem ser alcançadas nesses bebês, mas eventualmente a correção pode já não ser total.

imagem: arquivo Clinica Heads

COMO O CAPACETE VAI TRATAR MEU BEBÊ?

O capacete vai agir com uma contraposição de forças. Não apertará nada só realizará um apoio nas áreas proeminentes contendo o crescimento nessas e deixará as áreas achatadas livres para crescerem, direcionando  o próprio crescimento do crânio do bebê.

imagem: arquivo Clinica Heads

 

 

Clínica Heads -São Paulo

Av. Ibirapuera, 2907 Cj 1716
Bourbon Convention Corporate Plaza
São Paulo – SP | 04029-200

Tel: +55 11 5041-6826

Comente!