Feliz 2019!

Depois de festas, descanso e reflexão, é hora de voltar à ativa.

Ano novo, vida nova!

Quem nunca ouviu essa expressão?!

Muitos dizem que nada muda e que essa o “novo ano” não passa de uma simbologia.

É verdade que realmente não é necessária a mudança doano para mudanças e recomeços, mas que a simbologia inspira, ah, isso inspira!

Você já percebeu como o início de relacionamentos costuma ser positivo? Procure lembrar do começo de uma amizade, parceria, relação profissional, relacionamento amoroso…..como as pessoas se esforçam pra conhecer (e agradar!) a outra parte. Como nesse início ainda não existem hábitos, vícios, a possibilidade de começar com o pé direito é grande.

Esse é um dos motivos que levam as empresas a investirem tempo e dinheiro em ações para recepção e adaptação de um novo profissional – afinal, é o momento decisivo para ensinar, treinar, mostrar as regras do jogo e alinhar expectativas.

Em casa, ambiente de trabalho dos empregados domésticos, não é diferente. O início da parceria é o mais adequado não apenas para treinar novos profissionais, mas também e por que não dizer, principalmente, de fazer uma revisão dos processos da casa que vem ou não dando certo e trazendo (ou não) segurança e bem-estar a seus moradores.

Mas (e ainda bem), não se está sempre com um novo funcionário, por isso que tal recomeçar? Sentar com a/o profissional que trabalha na sua casa para relembrar e estabelecer novas rotinas e combinados?

Pra começar, trate de questões de ordem prática – inicie ressaltando os processos que vem funcionando e demonstre sua satisfação com o resultado e, claro, com o comprometimento do(a) profissional. Aborde na sequência, processos e procedimentos que merecem ser revistos – limpeza, organização, alimentação, cuidados com crianças. etc.

Já que o clima é de balanço geral, mas principalmente de construção de dias melhores, questões comportamentais devem entrar nesse bate papo. Como a maioria das relações de trabalho, a de empregados domésticos e patrões costuma ser prejudicada e não raras vezes rompida por questões comportamentais, por isso deixe claro especificamente o que gostaria que fosse alterado e o motivo e esteja disponível para perguntar (e efetivamente ouvir) o que você pode fazer para melhorar essa relação. Cartas na mesa, as chances de começar de novo, melhor do que antes, ficam muito maiores!