Existe um silêncio profundo sobre certos assuntos da maternidade.
Nós preferimos o caminho oposto: falamos sobre isso.
Desde quando li Laura Gutman há anos e anos atrás uma frase ecoou e jamais saiu da minha mente: nunca na história foi esperado ou considerado “normal” que as mulheres façam a maternidade sozinhas.
Quem lembra que nossas avós moravam juntas, famílias gigantes moravam nas mesmas casas(me lembra até novela da Globo né!) ou mesmo tribos de indíos… todos cuidam da criança e se ajudam.
E então se vc parar pra pensar esta jornada era compartilhada.
Mas em algum momento ao longo do caminho, tornou-se “norma” que as mães façam tudo sozinhas, em algum momento esperam que a gente faça tudo perfeitamente e sozinhas!
Que a gente trabalhe em tempo integral alegremente e depois ainda esperam que possamos seguir para casa para cozinhar,limpar,fazer o dever de casa com os filhos e ainda: e permanecer perfeitamente felizes … Mas a REAL é que podemos fazer tudo perfeitamente se nos permitirmos e aceitarmos que é impossível de fazer TUDO isso sozinhas, com um sorriso estampado em nossos rostos.
Mas quando passamos a dividir, ter uma amiga, uma compania, alguém que vc olha e te entende algo acontece.
Algo acontece quando as pessoas compartilham o difícil, sei lá, diminui a carga, alivia a mente, e percebemos que em certos momentos perder o controle é normal, birras de criança é normal, chorar no banheiro é normal, ter um filho adolescente mal humorado não é um reflexo de sua maternidade … quando aqui compartilhamos o difícil, isso faz o silêncio da maternidade muito menos silencioso.
Então, para todas vocês que se sentem em um ciclo vicioso,com aquela sensação de falhar em tudo, acreditem: Você é um humano que está criando filhos. Caraca eu penso, que responsabilidade! (Mas tbm penso: que coisa genial!!! São tantos aprendizados!)
E para todas as mães que acham que quando elas compartilham o difícil “elas estão reclamando”, que tal reformular este pensamento e pensar no quanto que você está ajudando, porque há 100% de chance de alguém se sentir exatamente como você. ??
(amigas na maternidade servem pra isso: tenha-as!)