Viva! Mamãe e papai também viajam (sozinhos!)

Ué…. cadê a cara da tristeza por deixar as crianças em casa??

Olá viajantes!!

Antes de sermos pais, eu e o Marcello somos um casal – também precisamos cuidar da nossa relação.  Após 10 anos de casamento, quando o Lucas estava prestes a completar 6 anos e a Laura com 1 ano e meio,  recebemos um convite surreal: 17 dias na Itália com absolutamente tudo pago, incluindo passagem aérea, hospedagem, alimentação, motorista/guia particular e o que mais vocês puderem imaginar. Impossível ser melhor, não? Mas juro que fiquei dividida, ainda mais porque sairíamos do Brasil bem no dia 10/09/2010 (aniversário de 6 anos do Lucas) e isso não podia ser alterado.

Enfim, com o coração na mão aceitamos o convite! Graças a Deus tenho pais absolutamente participativos e completamente babões! As crianças sempre tiveram o hábito de dormir na casa deles desde bem novinhos, com certeza não estranhariam nada. Porém, já que passaríamos um bom tempo longe, ficamos com receio da rotina deles ficar muito tumultuada. Foi aí que pedimos para que eles “se mudassem” para nossa casa. Dessa forma, a rotina deles não sofreria grandes alterações (pausa para o momento “traquinagens da vovó”: ainda no Brasil, minha mãe decretou que seria completamente desnecessário levar a Laura para a escola. Tudo passa tão rápido, os avós merecem curtir seus netinhos. Quem sou eu para ditar regras e normas, sendo que meus pais estavam nos fazendo um mega favor?  Sem eles, nada disso teria sido possível. Meus pais são o máximo!)

Nunca tive babá, optei por parar de trabalhar fora quando o Lucas nasceu, seria a primeira vez longe deles…  eu e o Marcello nunca havíamos tido um único fim de semana completamente sozinhos.

O dia a dia da casa estava todo organizado, eu tinha uma funcionária ótima. Lavava, passava, limpava e cozinhava incrivelmente bem. Conversei com o pediatra, avisei minhas amigas, deixei o telefone delas com meus pais, esquematizei o cronograma de festinhas e encontros na casa dos amigos. Não tinha como dar nada errado, correto? Uhm…… veremos!

Chegou o grande dia: 10/09/2010! Eu chorei, mas chorei demais MESMO! Deixar o Lucas na escola foi dificílimo. Foi um misto de saudades antecipadas, culpa, ansiedade, alívio por ter um tempo sozinha com o Marcello, medo do avião cair e deixar meus filhos órfãos (fiz até um testamento – sim, sou louca!), várias neuras passando na cabeça… Mas posso falar uma maldade? Tudo passou na hora em que entrei no avião! Impressionante como nos acostumados facinho com algumas regalias!

Passamos 17 dias incríveis, lua de mel total! Fomos para Milão, Verona, Veneza, Panzano in Chianti, Lucca, Pisa, Firenze, Siena, Arezzo, Sorrento, Capri, Positano, Amalfi, San Gimignano e Lago di Como. Incrível e sem correria! Um verdadeiro sonho, não tenho palavras para descrever o que foi essa viagem! Repetiria todos os anos esse mesmo roteiro!

Conseguem imaginar o que é acordar ao som dos sinos de uma igrejinha “sob o sol da Toscana” e assistir a mais linda de todas as missas já vistas? Ou imaginem  ver o por do sol em Sorrento, direto da janela do seu quarto  emoldurada pelo mar e ainda observar o Vesúvio ao longe…  Imaginem caminhar pelas ruas de Verona procurando a casa da Giulietta e “respirar o romance” que aquela cidade tem… Imaginem jantar em verdadeiras cantinas italianas com música ao vivo que todos cantam junto (e bem alto!)… Ou ainda, dançar no meio de uma praça sem medo de ser feliz e como se não houvesse o amanhã? E a foto clássica segurando a Torre de Pisa? Tomar um sorvete incrível em Firenze? E Milão, com aqueles homens (sim, todos lindos!) e mulheres chiquérrimas andando de “vespa” pelas ruas? Veneza!?  Ah, Veneza… sua linda! Mesmo com ratos e baratas (quem  nunca achou um rato ou uma barata pelos canais de Veneza, levanta a mão!) você será sempre linda, charmosa e cercada de mistério.

Enfim… eu poderia digitar páginas e páginas sobre essa viagem. Ainda assim não conseguiria falar o quanto gostei dela.

Foi  tudo muito bom, tudo muito lindo, tudo muito tudo… mas perrengues podem acontecer – e eles efetivamente aconteceram, fomos premiados! Não quero desanimar ninguém a ter uma lua de mel sensacional, ok? Não me arrependo de nada! Vocês apenas precisam pensar em todas as possibilidades, ter alternativas para cada problema e segurar o tranco. Então vamos lá!

– Sabe aquela minha  funcionária “ótima”? Pois é,  aquela Flor De Pessoa simplesmente sumiu sem dar qualquer tipo de explicação. Nessa hora o apoio das amigas foi fundamental. Uma mega querida (difícil encontrar uma amiga assim!) cedeu sua funcionária para ajudar meus pais!

– Ainda no segundo ou terceiro dia de viagem, tivemos a notícia que o avô do Marcello havia falecido, ele era um docinho de pessoa. Já era algo mais ou menos “esperado”, ele já estava hospitalizado. Como não haveria tempo de voltarmos para o velório e enterro, não havia muito mais o que se fazer. Foi triste, mas continuamos o percurso.

– Pra fechar com chave de ouro, a cereja do bolo: o Lucas, a Laura, a vovó e o vovô ficaram todos doentes ao mesmo tempo! Emoção total! Todos com diarréia e vômito, uma baita virose. Nesse momento a super vovó (te amo mãe, não deve ter sido fácil!) conseguiu segurar a barra e não nos contou absolutamente nada sobre o que estava acontecendo. Ela apenas disse que meu pai estava passando mal do estômago por algo que havia comido. Não falou nada sobre as crianças e nada sobre o estado dela.

O último detalhe, que quase ninguém acredita quando conto que tivemos dias perfeitos: quem viajou conosco, quais foram os melhores companheiros de viagem, quem se divertiu horrores? Surpresa “kinder ovo” chegando! Sim… a sogra, o sogro, a cunhada e o cunhado – o pacote completo! Se tudo isso o que escrevi acima teria acontecido sem eles? COM CERTEZA NÃO! Essa viagem só foi o que foi, porque eles estavam conosco e porque aproveitamos cada segundo juntos. Eu amo minha família e nem por um momento pensei que a companhia deles pudesse ser ruim.

Lucas e Laura não participaram dessa aventura, mas voltamos cheios de histórias pra contar, renovados e com muitas saudades!

Fino ao prossimo viaggio!

Arrivederci!!

P.S:

1) Sou legal, divertida, alto astral, aventureira, brincalhona, uma companheira incrível de viagem! Quem quiser me dar outro presente assim, é só chamar! 🙂

2) Como a culpa por viajar sem o Lucas e a Laura era bem grande, resolvemos dar um presentão para eles: um dia após chegarmos da Itália, pegamos outro avião e  fomos direto para a Bahia! 🙂 🙂 Família reunida e feliz!

 

Por |2017-09-15T16:24:54+00:00setembro 15th, 2017|Dicas de mãe, Filhos, Viagens|

2 Comentários

  1. rosemary s. mizrahi 16 de setembro de 2017 até 14:28 - Responder

    Parabéns, Denise! Viagem linda e divertida! Deixar os filhos com os avós deve ter sido um presente para eles e segurança para vocês! A Itália é linda mesmo, mas eu não conheço Toscana, ainda! Continue carregando em sua mala essa alegria tão espontânea que parece acompanhá-la em sua viagens! Abçs!

  2. Alessandra 17 de setembro de 2017 até 08:24 - Responder

    Parabens Din. Tão bom ter um tempo só com o marido.

Deixe um comentário

Seja a primeira a ver nossas “histórias reais".

Com a missão de trazer uma vida mais leve e algumas risadas, as alphamães te apresentam um mundo novo!
CADASTRAR
close-link

NOTA

Muitas das imagens do nosso blog vem de fontes diversas, sendo em sua maior parte externas e muitas não autorizadas. Nenhuma das fotos pertencem ao acervo do AlphaMães, a menos que sejam creditadas. Se alguma foto de sua autoria estiver no nosso blog e você desejar sua remoção, favor enviar um email para alphamaes@alphamaes.com.br que prontamente a retiraremos do ar.

Pictures for this blog come from multiple sources. None of the pictures belong to us unless otherwise noted. If one of your pictures is on the site and you want it removed please write to alphamaes@alphamaes.com.br
OK